Dili volta a registrar violentos confrontos

A capital do Timor Leste, Dili, voltou aser cenário de violentos confrontos, com vários feridos, dando seqüência ao conflito do mês passado entre o Exército e soldados rebeldes. O comissário da polícia de Dili, Paulo Martins, confirmou que houve vários tiroteios. Mas não soube dizer o número de vítimas nem se a violência está ligada à demissão de 591 militares quehaviam entrado em greve por aumentos salariais. Os soldados foram demitidos após a greve. A decisão provocou manifestações de protesto em Dili, que acabaram numa batalha campal em abril. Morreram cinco pessoas, e dezenas de prédios e veículos foram incendiados. No fim de semana, quando foi comemorado o aniversário da independência, ex-integrantes do Exército atacaram o bairro de Becora, na capital, queimando oito casas e ferindo seis pessoas. A instabilidade do país disparou o alarme na Austrália e na Nova Zelândia, que têm tropas prontas para intervir no país em caso de aumento da violência. O Timor Leste nasceu em 2002 como uma das nações mais pores do mundo, após 24 anos de sangrenta ocupação da Indonésia (1975-1999), que causou a morte de 183 mil timorenses, segundo o relatóriodivulgado em 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.