Dilma: Brasil provou que pode fazer Copa bem-sucedida

O Brasil provou para os que duvidavam que consegue fazer uma Copa do Mundo bem-sucedida, afirmou a presidente Dilma Rousseff na noite de sexta-feira, durante encontro com jornalistas estrangeiros na residência presidencial.

AE, Agência Estado

12 de julho de 2014 | 08h28

A preocupação de que estádios e aeroportos não estariam prontos ou que protestos iriam prejudicar a Copa tomou conta do Brasil nos anos que antecederam o evento. Mas agora, com a Copa quase no final, as pessoas estão saudando-a como um sucesso desportivo e milhares de fãs elogiaram o entusiasmo dos brasileiros e a atmosfera de festa animada. "Nós mostramos que nosso povo sabe como ter uma boa interação não apenas entre nós, mas com os estrangeiros que recebemos", disse Dilma. "Nós mantivemos de forma competente a paz e a ordem, bem como tivemos uma boa administração de aeroportos, entre outros sucessos."

Muitos fãs de futebol estão qualificando esta como a melhor Copa do Mundo em décadas, por causa do alto nível dos jogos e da ausência de problemas sérios de logística no caminho para os estádios. Isso, afirmou Dilma, é um bom presságio para o Brasil na preparação para sediar as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. Nos últimos meses, as autoridades olímpicas de fora do Brasil criticaram a preparação do país para o evento, apontando obras atrasadas, entre outros problemas.

"O presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional) nos disse que está extremamente satisfeito com nossas preparações para a Olimpíada do Rio", rebateu Dilma. "Ele disse que considera nossa vila olímpica entre as melhores que já viu."

Ainda sobre a Copa do Mundo, Dilma afirmou que "nunca tinha visto tamanha campanha contra algo tão grande, com tantas dúvidas sobre o sucesso da Copa, como enfrentamos no Brasil". "Bem, eliminamos as dúvidas de todos aqueles que não acreditavam em nós." Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasilcopadilmapreocupaçãodúvidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.