Dilma diz que representará católicos no Vaticano

A presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira que vai comparecer ao Vaticano para representar "essa população católica do nosso país". Ela participará na próxima terça-feira da missa de início de pontificado do papa Francisco. Segundo fontes do Planalto, a presidente deverá viajar para Roma na noite de domingo.

RAFAEL MORAES MOURA E TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

15 de março de 2013 | 12h58

Criticada pela demora em se manifestar após a renúncia de Bento XVI, a presidente se apressou para confirmar presença na missa. O anúncio foi feito nessa quinta-feira pelo porta-voz da Presidência da República, Thomas Traumann.

"Eu irei lá em Roma. Eu comparecerei lá em Roma na medida que convidaram e o Brasil é um país que tem uma população católica muito expressiva e acredito que será importante eu, como presidente - eu não estou falando como pessoa porque como pessoa eu fui criada na Igreja Católica -, mas estou representando como presidente essa população católica do nosso país", disse Dilma.

Dilma pretende reiterar o convite do governo brasileiro ao papa Francisco para que compareça à Jornada Mundial da Juventude, que ocorrerá de 23 a 28 de julho no Rio de Janeiro. Ao prestigiar o primeiro papa latino-americano, Dilma tenta se aproximar da Igreja Católica, de quem sofreu críticas na campanha eleitoral de 2010 por causa de discussões em torno do aborto.

Tudo o que sabemos sobre:
papadilmamissaVaticano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.