Dilma elogia legado de Mandela e diz que líder foi referência para todos

'Nós que trazemos sangue africano em nossas veias celebramos o exemplo deste grande líder', diz ela

O Estado de S. Paulo,

10 de dezembro de 2013 | 10h28

 

JOHANESBURGO - A presidente Dilma Rousseff destacou em seu discurso no memorial do líder antiapartheid sul-africano Nelson Mandela o impacto do ex-presidente sul-africano na luta por direitos civis no Brasil e na África do Sul.

 

Veja também:

linkAcompanhe a cobertura dos funerais de Nelson Mandela

link Obama: Mandela foi o último libertador do século XX

linkObama aperta a mão de Raúl Castro em funeral

linkLuto sul-africano ultrapassa divisões sociais e raciais

“Trago aqui o sentimento de profundo pesar do governo e do povo brasileiro, e tenho certeza de toda a América do Sul, pela morte deste grande líder, Nelson Mandela (…) Madiba, como carinhosamente vocês o chamaram, constitui exemplo e referência para todos nós”, disse. "Assim como os sul-africanos choram com seus cantos, nós que trazemos, com orgulho, sangue africano em nossas veias oramos e celebramos o exemplo deste grande líder que faz parte do panteão da humanidade", discursou a presidente.

Dilma subiu ao palanque de homenagens a Mandela no estádio Soccer City, em Soweto, na periferia de Johanesburgo, logo depois do presidente americano Barack Obama.

“Ele soube fazer da busca da verdade e do perdão os pilares da reconciliação nacional e da construção da nova África do Sul. Devemos reverenciar esta manifestação suprema de grandeza e de humanismo. Sua luta transcendeu suas fronteiras nacionais. Deixou lições não só para seu querido continente africano, mas para todos que buscam a liberdade, a justiça social e a paz no mundo”, acrescentou a presidente

“O governo e o povo brasileiro se inclinam diante da memória de Nelson Mandela. Transmito aos seus familiares, ao presidente Zuma e a todos os sul-africanos nosso profundo sentimento de dor e pesar. Viva Mandela. Para sempre”, concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Nelson MandelaDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.