Diminui número de reservistas americanos no Iraque

O número de tropas da Guarda Nacional e da Reserva mobilizados pelos EUA para o Iraque caiu para 117.998, o nível mais baixo desde a invasão do país há três anos. A principal razão desta queda é que há mais tropas regulares que estão voltando ao Iraque após se reorganizarem, por isso os militares na Reserva ou da Guarda Nacional retornam aos EUA. As Forças Aéreas e a Marinha anunciaram um aumento no número de reservistas mobilizados, mas a diminuição nas tropas da Reserva do Exército fez com que o total caísse em 1.446 em relação à semana anterior, segundo números do Pentágono. Os reservistas combateram no Iraque enquanto as tropas regulares do Exército se reorganizavam em solo americano para enfrentar o novo tipo de conflito travado no país árabe, onde cresce a violência sectária. Portanto, se prevê que a figura dos policiais militares adquira maior relevância, de modo que o próprio Exército possa cobrir essa necessidade sem precisar de seus reservistas. O número atual de reservistas ativos no Iraque caiu gradualmente após alcançar seu ponto mais alto em abril de 2003, quando havia um total de 224.528 efetivos mobilizados no país. Em alguns momentos do ano passado, os reservistas e os membros da Guarda Nacional representaram a metade dos efetivos no Iraque, mas agora são menos de 20%. Uma comissão especial de congressistas estuda como devem ser organizados e dispostos os reservistas e a Guarda Nacional, além de como recompensá-los por ter ficado à frente da guerra em muitos momentos. Os congressistas enfrentam a resistência de parte do departamento de Defesa para melhorar a remuneração dos reservistas. A comissão tem um ano para entregar o relatório e suas recomendações ao Congresso.

Agencia Estado,

16 Março 2006 | 02h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.