Diminui vantagem de Hillary na Pensilvânia, diz pesquisa

A vantagem da senadora HillaryClinton sobre o senador Barack Obama nas prévias do PartidoDemocrata no Estado da Pensilvânia diminuiu, mostrou umapesquisa divulgada na quinta-feira. A vantagem dela caiu de 20 pontos percentuais em janeiropara 12 agora, segundo a mais recente pesquisa da FaculdadeFranklin & Marshall. Hillary agora está à frente de Obama com 44 por cento dasintenções de voto contra 32 por cento para o adversário nasprévias da Pensilvânia, marcadas para o dia 22 de abril. Entre os democratas registrados, as opiniões positivassobre Obama aumentaram de 52 por cento no mês passado para 57por cento agora, ao passo que as sobre Hillary caíram um pontopercentual, para 62 por cento. Um fenômeno semelhante ocorreu com os eleitores registradosvistos como um todo, entre os quais Obama conta agora com 46por cento de opiniões positivas (antes era de 41) e Hillary,com 41 por cento (antes era de 40). Terry Madonna, professor de questões públicas na FaculdadeFranklin & Marshall, disse que a pesquisa mais recente refleteo crescimento nacional do apoio a Obama, que venceu as últimasdez prévias estaduais realizadas pelo Partido Democrata. Segundo Madonna, Hillary, senadora pelo Estado de NovaYork, continua a favorita para vencer na Pensilvânia -- umEstado importante, que envia 103 delegados para a convençãonacional responsável por escolher o candidato democrata naseleições presidenciais de novembro. A vantagem da senadora, ainda segundo Madonna, deve-se aos"democratas Reagan", normalmente membros de sindicatos semeducação superior que trabalham em indústrias antigas daregião, como as de ferro e carvão. "Ela continua a liderar a corrida, mas acho que aPensilvânia oferecerá uma disputa acirrada e não se devedescartar a possibilidade de ele (Obama) vencer aqui", disse oprofessor. Hillary aparece à frente de Obama, senador pelo Estado deIllinois, entre as mulheres, os brancos, as pessoas com mais de55 anos de idade e os que não possuem grau universitário. Elatambém é a candidata preferida entre os que ganham menos de 75mil dólares por ano. Obama consegue uma maior penetração entre os não-brancos eas pessoas com grau superior, afirmou a pesquisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.