Kenneth Meyer/AP
Kenneth Meyer/AP

Dinamarca acusa cinco por atos terroristas em 2010 e 2011

Para promotor Svend Ulrik Larsen, acusados queriam desestabilizar o país e assustar a população ao atear fogo a vários alvos

AE, Agência Estado

20 de abril de 2012 | 09h11

COPENHAGUE - Cinco homens foram formalmente acusados nesta sexta-feira, 20, na Dinamarca por atos terroristas cometidos em 2010 e 2011. Os suspeitos foram detidos no ano passado.

O principal promotor dinamarquês, Svend Ulrik Larsen, disse hoje que os acusados tiveram o objetivo de desestabilizar o país e assustar a população ao atear ou tentar atear fogo a vários alvos, incluindo prédios da polícia, a sede da agência de inteligência, dois bancos, três empresas fabricantes de casacos de pele e a subsidiária local da gigante suíça de alimentos Nestlé. Ninguém ficou ferido nos ataques e os danos materiais foram mínimos.

"Consideramos que este é um caso muito sério", afirmou a promotora Lise-Lotte Nilas, durante entrevista ao vivo a uma emissora de TV dinamarquesa. "Os alvos deles eram instituições públicas e empresas privadas", completou.

O grupo também foi acusado de planejar causar incêndios em dois escritórios governamentais e uma instalação militar, entre outros alvos.

Os acusados, com idades entre 21 e 24, supostamente pertencem a grupos extremistas de esquerda, segundo o serviço de inteligência dinamarquês. Seus nomes não foram divulgados por causa de uma proibição judicial. Se condenados, eles poderão pegar prisão perpétua, o que na Dinamarca, de modo geral, significa uma detenção de até 16 anos. A previsão é que o julgamento do caso comece em outubro.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Dinamarcaterrorismoacusação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.