Dinamarca liberta rebelde checheno procurado pela Rússia

A Dinamarca libertou nesta terça-feira um rebelde checheno procurado pela Rússia, que buscava sua extradição. Copenhague alegou que as evidências oferecidas pelos russos não eram suficientes para entregá-lo às autoridades. Akhmed Zakayev, um importante assessor do líder separatista checheno Aslan Maskhadov, foi libertado na noite de ontem depois de ser mantido preso em Copenhague desde o dia 30 de outubro, enquanto o Ministério da Justiça dinamarquês analisava o pedido russo. "Depois de analisar o pedido russo de extradição, o Ministério da Justiça tomou hoje sua decisão. A extradição não poderá ser feita com base no material oferecido", disse Jakob Scharf, diretor do departamento internacional do ministério. A Dinamarca havia imposto o dia 30 de novembro como prazo final para que os russos apresentassem evidências suficientes para possibilitar a extradição de Zakayev. Em Moscou, o ministro da Justiça da Rússia, Yuri Chaika, qualificou a decisão como política, mas disse não ter ficado surpreso. "Parece-me que os aspectos políticos prevaleceram sobre os jurídicos neste caso", disse Chaika. Zakayev foi detido em Copenhague em 30 de outubro a pedido de Moscou. O governo russo o acusa de ligações com atentados contra civis. Zakayev foi libertado e agora "pode deixar livremente o país", segundo Scharf. O atual paradeiro do rebelde checheno é desconhecido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.