Dinastia Gandhi volta ao poder na Índia

A dinastia Gandhi prepara-se para reassumir o poder na Índia, depois de conseguir uma vitória esmagadora nas urnas, reflexo da frustração das regiões rurais mais pobres, que se vêem excluídas do ?boom? urbano e econômico produzido pelo governo atual. O partido do primeiro-ministro Atal Bihari Vajpayee reconheceu a derrota, deixando Sonia Gandhi, viúva nascida na Itália do premier Rajiv Gandhi, à frente da maior democracia do mundo. Vajpayee já apresentou a renúncia, mas ficará no cargo até que um novo governo seja formado. Ele deverá fazer um pronunciamento na televisão. O resultado do pleito foi uma das reviravoltas políticas mais dramáticas desde a independência indiana, há 60 anos. ?Não temos mais o mandato popular?, disse Venkaiah Naidu, presidente do partido Bharatiya Janata, do atual premier. O Partido do Congresso, grande vencedor, deverá formar uma coalizão com forças de esquerda para formar um governo. Talvez a origem estrangeira de Sonia Gandhi a impeça de assumir como primeira-ministra. Depois de mais de 11 horas de apuração para 539 vagas das 543 do Parlamento indiano, resultados oficiais mostram o Partido do Congresso e aliados à frente da Aliança Democrática Nacional, coligação que apóia o atual governo, por 178 vagas a 146.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.