Diocese de Los Angeles fecha acordo com vítimas de abusos

A arquidiocese de Los Angeles, a maior dos Estados Unidos, pagará em torno de US$ 60 milhões (cerca de R$ 130 milhões) devido a um acordo judicial que retirará da Justiça ações por supostos abusos sexuais cometidos por 45 padres.O acordo é o passo mais significativo na tentativa de resolver um grande litígio contra a arquidiocese que já se estende por vários anos."Rezo para que o acordo com este grupo inicial de casos ajude as vítimas envolvidas a seguirem com suas vidas e a construírem um futuro melhor para elas e suas famílias", disse o cardeal Roger Mahony a jornalistas.Ray Boucher, o principal advogado de defesa das vítimas, disse que o acordo foi o maior ocorrido na diocese de Los Angeles até agora. Segundo ele, mais de US$ 50 milhões deverão ser pagos pela arquidiocese e cerca de US$ 8 milhões serão doados por ordens religiosas.A arquidiocese de Los Angeles enfrenta ainda mais de 500 ações legais apresentadas por pessoas que alegam terem sido abusadas sexualmente por mais de 200 padres e funcionários de igrejas desde 1930.O total que será pago com o pacto anunciado nesta sexta-feira é o segundo maior já registrado na Califórnia, ficando atrás apenas do acordo entre a diocese de Orange e supostas vítimas de abusos sexuais, que totalizou US$ 100 milhões em 2004.Os abusos sexuais cometidos por padres já custou à Igreja Católica nos Estados Unidos pelo menos US$ 1,5 bilhão desde 1950. Várias dioceses americanas fecharam acordos milionários com as vítimas nos últimos cinco anos, após uma maior disposição dos bispos em pôr um ponto final à crise e seguir em frente.Quatro dioceses - Tucson (Arizona), Spokane (Washington), Portland (Oregon) e Davenport (Iowa) - foram obrigadas a pedir falência devido ao acúmulo de ações judiciais. Até agora, Tucson foi a única que conseguiu resolver seus problemas financeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.