Diplomacia frustrada

4/6: Presidente colombiano, Álvaro Uribe, aceita pedido de presidente francês, Nicolas Sarkozy, e liberta o ?chanceler? das Farc, Rodrigo Granda, para mediar negociações para libertar reféns15/8: Uribe nomeia a senadora da oposição Piedad Córdoba como "facilitadora" do acordo humanitário com as Farc17/8: Presidente venezuelano, Hugo Chávez, aceita proposta de Piedad para ajudar no diálogo20/8: Chávez recebe, em Caracas, parentes de reféns 26/8: Farc aceitam Chávez como mediador2/11: O jornal El Nacional, de Caracas, anuncia encontro de Chávez com Granda7/11: Chávez revela que o líder máximo das Farc, conhecido como "Manuel Marulanda", ordenou que os guerrilheiros dêem uma prova de vida dos reféns20/11: Em encontro com Sarkozy em Paris, Chávez diz que rebeldes entregarão em 40 dias prova de que Ingrid Betancourt está viva 21/11: Uribe adverte que as Farc podem aproveitar as intermediações para retardar o processo de libertação dos reféns22/11: Colômbia põe fim à mediação, depois de Chávez telefonar para comandante do Exército sem autorização de UribeDomingo: Chávez chama Uribe de mentiroso e ?congela? relações com Colômbia. Uribe diz que venezuelano quer instaurar na Colômbia um governo das FarcSegunda: Chávez afirma que Uribe é o "porta-voz da oligarquia antibolivariana"Quarta: Caracas rompe relações com BogotáOntem: Colômbia prova de vida de reféns, incluindo Ingrid Betancourt

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.