Diplomacia pode resolver crise com Irã, diz França

A França está convencida de que a diplomacia ainda pode resolver a crise em torno do programa nuclear do Irã e não acredita que os Estados Unidos queiram atacar a república islâmica, disse o ministro de Relações Exteriores, Philippe Douste-Blazy, na quarta-feira. Segundo ele, líderes iranianos estão divididos com o discurso desafiador do presidente Mahmoud Ahmadinejad na questão nuclear, o que cria a esperança de que as negociações possam eventualmente ter sucesso. "Na França acreditamos que uma solução diplomática é possível. Nossa convicção é de que não há solução militar para a crise nuclear iraniana", afirmou Douste-Blazy. Ele disse ter recebido dos EUA a informação de que não haverá ataque ao Irã. "Não temos absolutamente nenhuma razão para duvidar deles a respeito disso", acrescentou. O Irã está sob sanções da ONU devido ao seu programa nuclear, apesar de Teerã reafirmar seu caráter pacífico, ao contrário do que suspeita o Ocidente. Ahmadinejad disse no domingo que o Irã está disposto a negociar, mas descartou a suspensão das atividades de enriquecimento de urânio. Douste-Blazy disse que o discurso foi "inaceitável", mas que ainda há esperanças de que o Irã mude de postura. "Pela primeira vez há um verdadeiro debate no coração do Irã para ver se Ahmadinejad está seguindo a estratégia certa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.