Diplomata acusa Karzai de uso de drogas

WASHINGTON

, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2010 | 00h00

Um funcionário do governo americano manifestou o temor de que as atitudes estranhas do presidente afegão, Hamid Karzai, sejam resultado do uso excessivo de heroína. Inicialmente, o comportamento distinto do presidente foi atribuído a sentimentos feridos, pois um convite para uma visita à Casa Branca foi inesperadamente retirado. Mas as coisas foram ficando piores, com Karzai acusando os americanos de fraudar as eleições no Afeganistão e dizendo que poderia se juntar ao Taleban.

Peter Galbraith, que já foi o principal funcionário americano da ONU no Afeganistão, disse à NBC que o comportamento errático de Karzai pode estar sendo causado por algo mais do que frieza diplomática. Galbraith disse que a questão é a "estabilidade mental" de Karzai e indicou que o presidente afegão é viciado em heroína. "Ele pode ser muito emocional, agir impulsivamente. Na realidade, algumas pessoas do palácio presidencial disseram que ele certamente tem grande apreciação por um dos produtos de exportação mais rentáveis do Afeganistão", disse. Galbraith não é a fonte mais neutra sobre Karzai, já que ele foi removido de seu cargo na ONU após acusar o presidente afegão de fraude eleitoral. E algumas fontes diplomáticas dizem que Karzai está com depressão ou paranoico, não viciado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.