/ AFP PHOTO / Brendan Smialowski
/ AFP PHOTO / Brendan Smialowski

Diplomata americano de mais alto nível em Pequim renuncia ao cargo

Ele não estaria de acordo com a decisão de Trump de abandonar o Acordo de Paris

O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2017 | 20h33

WASHINGTON - O diplomata de carreira de mais alto nível na embaixada americana na China renunciou ao cargo, informou à agência France-Presse nesta segunda-feira, 5, uma fonte do departamento de Estado, em meio a versões sobre discrepâncias na política ambiental do presidente Donald Trump. A representação já estava antes sem embaixador, ainda não indicado pelo governo Trump.  

David Rank, encarregado de negócios da embaixada, com 27 anos de carreira diplomática, havia sido enviado a Pequim em janeiro do ano passado.

"Rank tomou uma decisão pessoal. Apreciamos seus anos de serviço dedicado ao Departamento de Estado", disse à agência de notícias uma alta funcionária que pediu para manter o anonimato.

"Informamos ao Ministério das Relações Exteriores hoje que Jonathan Fritz assumirá como encarregado de negócios" até a chegada do novo embaixador, acrescentou.

Informações sobre a renúncia de Rank foram publicadas no Twitter pelo jornalista veterano na China, John Pomfret, editor do site web SupChina e antes do Washington Post.

Segundo Pomfret, Rank renunciou porque "não pode apoiar Trump sobre o clima" e estava decepcionado pela decisão presidencial de sair do acordo de Paris sobre mudanças climáticas. / AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.