Diplomata brasileiro renuncia a alto cargo do Mercosul

A assessoria de imprensa do Itamaraty confirmou nesta quinta-feira em Mendoza, Argentina, a renúncia do embaixador Samuel Pinheiro Guimarães do cargo de Alto Representante Geral do Mercosul, que ocupava desde janeiro de 2010. O mandato do cargo é de três anos, renovável por igual período.

MARINA GUIMARÃES E TÂNIA MONTEIRO, ENVIADAS ESPECIAIS, Agência Estado

28 de junho de 2012 | 18h44

Pinheiro Guimarães apresentou seu pedido de afastamento na manhã desta quinta-feira, em plena reunião de chanceleres que preparam os documentos a serem assinados pelos presidentes durante a Cúpula do Mercosul, na sexta-feira. Sem explicações oficiais para a demissão do embaixador, fontes diplomáticas dos países sócios revelaram que ele "perdeu apoio dos países, especialmente do Brasil, para cumprir com seu mandato".

"Depois de um ano no cargo, ele ainda não havia fixado residência em Montevidéu, onde está a sede da Secretaria do Mercosul, e nem mesmo conseguiu aprovar o orçamento para a Secretaria", comentou uma fonte ouvida pela Agência Estado. O cargo de Alto Representante Geral do Mercosul foi criado na Cúpula de Foz do Iguaçu, em 16 de dezembro de 2010, substituindo o antigo posto de secretário-geral, que havia sido ocupado pelo argentino Carlos "Chacho" Alvarez. "Chacho" foi eleito por dois períodos consecutivos, durante os quais fixou residência em Montevidéu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.