Diplomata da Arábia é sequestrado no Iêmen

Atiradores sequestraram um diplomata saudita quando ele estava indo para o trabalho nesta quarta-feira na cidade de Áden, no sul iemenita, disse o Ministério das Relações Exteriores da Arábia Saudita. Sequestros são frequentes no Iêmen, um dos países mais pobres do mundo, onde beduínos ligados à rede extremista Al-Qaeda costumam sequestrar as vítimas que depois são libertadas em troca de resgate. Foi a segunda vez que um diplomata da Arábia foi sequestrado no Iêmen recentemente. A chancelaria da Arábia identificou o diplomata como Abdullah al-Khaldi, vice-cônsul do Consulado da Arábia em Áden. Ainda não está claro se o sequestro tem motivações políticas ou é um delito comum.

AE, Agência Estado

28 de março de 2012 | 14h14

Em abril passado, um diplomata saudita foi sequestrado em meio a uma disputa financeira entre o filho de um xeque e um empresário saudita. O diplomata foi libertado após passar dez dias no cativeiro.

A Arábia Saudita e os países árabes do Golfo Pérsico se envolveram bastante no acordo de transferência de poderes que forçou a renúncia do presidente iemenita Ali Abdullah Saleh, que governou o país por 33 anos. Saleh entregou os poderes ao vice-presidente no mês passado, após mais de um ano de protestos que deixaram cerca de mil mortos.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.