Diplomata da UE viaja aos EUA para tratar do Haiti

A chefe das Relações Exteriores da União Europeia (UE), Catherine Ashton, viajou hoje para os Estados Unidos. Ela deve se encontrar amanhã com a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e, na sexta-feira, com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, para discutir a crise no Haiti. Catherine deve ainda se reunir com outros altos funcionários da administração dos EUA e do Congresso.

AE, Agencia Estado

20 de janeiro de 2010 | 09h23

A viagem ocorre um dia após deputados liberais e de centro-direita criticarem a chefe da diplomacia da UE por não visitar ela mesma o Haiti, como fizeram alguns funcionários europeus e a própria Hillary. A visita dela ao país caribenho já estava planejada, mas Catherine disse que seguiu o conselho da Organização das Nações Unidas (ONU) para que não seguisse imediatamente ao Haiti, a fim de não atrapalhar os esforços de resgate e ajuda.

"Eu não tenho nada a contribuir, além de tirar um espaço valioso em uma aeronave", disse ontem Catherine. "Eu não sou médica, não sou bombeira." Várias autoridades discordaram da análise. "Você acha que foi bom a Hillary estar lá, e a ONU, mas a Europa não estar presente?", questionou o parlamentar de centro-direita Joseph Daul.

A comissária da UE para Auxílio Humanitário, Karel De Gucht, deve viajar hoje ao Haiti para ajudar a coordenar a ajuda e avaliar as necessidades de reconstrução no país, no curto e no longo prazos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotoUEEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.