Diplomata dos EUA renuncia por discordar da guerra

Uma diplomata americana renunciou, em protesto contra a posição de Washington a respeito do Iraque. Ann Wright, número dois da embaixada dos EUA em Ulan Bator, a capital da Mongólia, também criticou "a supressão desnecessária dos direitos civis" nos EUA depois dos atentados de 11 de setembro."Penso que a política de nosso governo está tornando o mundo mais perigoso, e não mais seguro", disse Wright em sua carta de renúncia, enviada ao secretário de Estado Colin Powell. Wright disse que enviou a carta em 19 de março, um dia antes do início da guerra liderada pelos EUA e a Grã-Bretanha contra o Iraque. Disse que pretende deixar a Mongólia no início de abril. Wright é a segunda diplomata que renuncia em razão da política americana para o Iraque. John Brady Kiesling, assessor político na embaixada de Atenas, renunciou em 7 de março. Em sua carta, ela advertiu que esta guerra pode provocar uma série de ataques contra os EUA. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.