Diplomata iraniano preso na Inglaterra sai da cadeia

Um diplomata iraniano preso na Inglaterra por supostamente ter conexões com um atentado na Argentina foi solto nesta quinta-feira. Hade Soleimanpour, de 47 anos, pagou fiança de US$ 1,2 milhões e foi liberado da cadeia em Londres. A Argentina pediu a extradição de Soleimanpour por suspeitar de sua participação em um atentado a bomba a um centro judaico em Buenos Aires em 1994, em que 85 pessoas morreram. Um juiz inglês aceitou o pagamento de fiança por não haver provas claras de que Soleimanpour participou do atentado. Ele era embaixador do Irã na Argentina à época do atentado. O juiz da corte de Londres afirmou que Soleimanpour já sabia desde março do pedido de extradição que pesava sobre ele. "Ele poderia ter ido embora se quisesse", disse o juiz, indicando que ter ficado na Inglaterra, onde hoje é estudante, sinaliza a inocência do diplomata. Para judeus argentinos que acompanham o caso, a decisão é uma concessão ao terrorismo. Abraham Kaul, presidente do centro judaico bombardeado, disse que "a Inglaterra se ajoelhou diante dos terroristas". O ataque em 1994 sucedeu-se a outro atentado na Argentina: em março de 1992, uma bomba na Embaixada de Israel em Buenos Aires matou 28 pessoas. A prisão de Hade Soleimanpour estremeceu a relação diplomática entre o Irã e a Grã-Bretanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.