Diplomata que emitiu carta para Snowden pode ser punido

O presidente do Equador, Rafael Correa, disse neste sábado que nunca autorizou a emissão de documentos de viagem para Edward Snowden, que recentemente pediu asilo político ao país sul-americano após admitir ter vazado detalhes dos programas de vigilância dos EUA.

AE, Agência Estado

29 de junho de 2013 | 19h50

Segundo o governo equatoriano, uma carta que garante passagem segura a Snowden, aparentemente emitida por um diplomata do país em Londres há uma semana, não tem validade.

Correa, que fez hoje seu pronunciamento semanal em rede de televisão, disse ainda que o diplomata será punido, mas sem dar mais detalhes. Snowden, cujo passaporte norte-americano foi revogado, está refugiado em um terminal do aeroporto de Moscou desde a semana passada. Com informações da Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
equadorsnowdendocumento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.