Diplomata saudita é morto a tiros no Paquistão

Taleban negou envolvimento; autoridades investigam possível vínculo do ataque com a Al-Qaeda

Agência Estado

16 de maio de 2011 | 13h48

ISLAMABAD - Um diplomata saudita foi morto nesta segunda-feira, 16, por uma rajada de balas, quando seguia para seu trabalho no consulado da Arábia Saudita em Karachi. É o segundo ataque aos sauditas na maior cidade do Paquistão em menos de uma semana. O Taleban no Paquistão negou envolvimento na morte.

 

Autoridades investigam possíveis vínculos entre grupos sectários ou com a morte do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, ocorrida em território paquistanês em 2 de maio em uma operação de forças especiais dos EUA.

 

A Arábia Saudita afirmou que Hasan al-Khatani estava a caminho do trabalho. O país pediu que o Paquistão reforce as medidas de segurança para seus diplomatas, após na semana passada o consulado ser alvo de um ataque com granadas. A polícia disse que Khatani trabalhava no departamento de segurança do consulado. Ele estava conduzindo um veículo com placas diplomáticas, quando dois homens em uma motocicleta o atacaram a tiros.

 

O chefe de polícia de Karachi, Iqbal Mahmood, disse que os militantes fizeram quatro disparos e então fugiram na motocicleta. "Um tiro atingiu sua cabeça e ele morreu no local", relatou. "Nós estamos investigando se os agressores tiveram qualquer cobertura de um carro na área". O primeiro-ministro paquistanês, Yousuf Raza Gilani, condenou o ataque. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.