Diplomatas criticam outdoor com Hitler na Tailândia

Um outdoor com uma imagem de Adolph Hitler usada como propaganda de um museu de cera na Tailândia foi coberto após queixas dos embaixadores de Israel e da Alemanha, informou o gerente do museu. "A ideia foi de uma agência de publicidade e nós não pretendíamos causar nenhum tipo de ofensa", afirmou Somporn Naksuetrong, gerente do Louis Tussaud''s Waxworks, que fica na cidade de Pattaya.

AE-AP, Agencia Estado

18 de outubro de 2009 | 18h10

O outdoor, que, na língua local, dizia "Hitler não está morto", ficou em exposição várias semanas na principal estrada que liga a capital do país, Bangcoc, a Pattaya e era destinado a promover a inauguração do museu, programada para o próximo mês. "Nós não mostramos essa imagem para celebrar Hitler", afirmou Somporn.

"Nós acreditamos que ele é uma figura histórica importante, mas de um modo terrível. Nos desculpamos por ter causado qualquer ofensa, que não foi de nenhum modo intencional", acrescentou.

O jornal Bangkok Post citou o embaixador alemão no país, Hanns Schumacher, que teria afirmado que "esse tipo de propaganda de absoluto mau gosto afetaria os sentimentos de muitas pessoas" e pedido que o outdoor fosse retirado. O embaixador israelense, Itzhak Shoham, também teria feito o mesmo pedido. "É totalmente inaceitável ter um monstro como Adolf Hitler em um anúncio público", disse Shoham ao jornal. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HitleroutdoorTailândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.