Diplomatas de seis países discutirão crise iraniana em Paris

Diplomatas de Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha se reunirão na terça-feira em Parispara estudar a resposta a ser dada ao Irã após sua decisão de prosseguir com o programa de enriquecimento de urânio, informou a imprensa local nesta segunda-feira.Diretores-gerais dos Ministérios de Exteriores dos seis países debaterão na capital francesa os passos a serem dados após a divulgação na sexta-feira de um relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) sobre o Irã.Segundo o documento, Teerã não somente ignorou as exigências da comunidade internacional como acelerou o enriquecimento de urânio e não ofereceu a cooperação requerida pelo Conselho de Governadores do organismo nuclear e pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.Com a exceção da Alemanha, os outros participantes da reunião de Paris têm postos permanentes no Conselho de Segurança, encarregado de estabelecer uma linha perante a persistência iraniana em desenvolver seu programa nuclear.Todos eles apostam pela via diplomática para a solução da crise, mas russos e chineses se mostram claramente contrários à hipótese de aplicar sanções ao Irã para que o país cumpra as exigências da comunidade internacional.A reunião permitirá comprovar se há margem para a aproximação de posições entre europeus e americanos com a China e a Rússia, para que o Conselho de Segurança da ONU possa dar um ultimato ao Irã.A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, afirmou neste domingo que os EUA defenderão na ONU uma resolução que exija ao Irã a paralisação da produção de urânio enriquecido, a menos que queira se expor a sanções.O capítulo VII da Carta da ONU prevê sanções para quem nãocumprir qualquer resolução que seja aprovada, que vão desde a negativa a dar vistos para os governantes ao embargo ou, até mesmo, à ação militar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.