Direita vence eleição na Andaluzia, mas sem maioria

Andaluzia

AE, Agência Estado

25 Março 2012 | 19h22

A coalizão Esquerda Unida, liderada pelos comunistas, conseguiu 12 cadeiras, o dobro do obtido nas eleições regionais de 2008, e deve ser o fiel da balança na nova legislatura. Para conseguir a grande maioria no Parlamento da região mais populosa da Espanha, um partido precisa conquistar 55 assentos.

Os socialistas têm governado a região de Andaluzia desde que a Espanha voltou a ser um país democrático, com a morte do general Francisco Franco em 1975.

Sevilha, a capital da Andaluzia, é o local de nascimento do ex-líder socialista Felipe Gonzalez, que atuou como primeiro-ministro por quatro mandatos sucessivos, entre 1982 e 1996, e ajudou a cimentar a democracia após a morte de Franco.

Na região de Astúrias, o PP também venceu, mas sem conquistar a maioria dos assentos, o que também vai obrigar o partido a formar uma coalizão para governar.

O PP venceu as eleições nacionais em novembro com uma grande maioria de votos, após conquistar enormes ganhos regionais em maio do ano passado, quando conquistou o controle de 11 regiões.A vitória nas eleições regionais da Andaluzia e Asturais dá a eles controle sobre 14 das 17 regiões da Espanha.

O país ibérico tem a mais elevada taxa de desemprego da zona do euro, de quase 23%. Os números do primeiro trimestre devem mostrar que a economia espanhola entrou para a sua segunda recessão em três anos.

A vitória nessas eleições regionais dará condições ao primeiro-ministro Mariano Rajoy de ampliar a implementação de medidas de austeridades do seu partido também para as regiões. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Andaluzia Espanha eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.