Diretas no Iraque são "improváveis" no curto prazo, diz ONU

Um representante das Nações Unidas disse que é improvável que seja possível realizar eleições diretas no Iraque antes da data marcada para a transferência de poder, 30 de junho. Líderes iraquianos, por sua vez, disseram que há cada vez mais apoio à idéia de ignorar o plano americano para a retomada da soberania do país. O enviado especial da ONU, Lakhdar Brahimi, avisou os iraquianos para que tenham cuidado com os riscos de uma guerra civil. ?Há perigos muito graves?, disse Brahimi. Guerras civis têm início, disse ele, ?porque as pessoas são irresponsáveis, são egoístas, porque as pessoas pensam mais nelas mesmas que no país?.Brahimi disse a jornalistas que voltará a Nova York e entregará seu relatório sobre o processo de transição no Iraque dentre de 10 dias. Perguntado sobre o plano americano - de realizar assembléias regionais para eleger o novo parlamento iraquiano - estava morto, Brahimi disse: ?Imagino que as pessoas que criaram (o plano) já perceberam que ele precisa de aperfeiçoamento considerável?.A despeito disso, um porta-voz do representante da ONU afirmou que a alternativa apresentada pelos xiitas iraquianos, de eleições gerais e diretas, será muito difícil de executar antes de julho. ?O tempo entre agora e julho é muito curto e isso torna improvável que se consiga botar o mecanismo no lugar?, afirmou o porta-voz Ahmad Fawzi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.