Nacho Doce/Reuters
Nacho Doce/Reuters

Diretor da OMS na Europa liga aumento dos casos do vírus aos jovens

Hans Kluge afirmou que crescimento do vírus é consequência de uma mudança no comportamento humano nas últimas semanas

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2020 | 12h48

GENEBRA - O aumento nos casos de coronavírus entre os mais jovens pode estar por trás do novo avanço da covid-19 em vários países europeus, afirmou nesta quarta-feira, 29, o diretor regional para a Europa da Organização Mundial da Saúde (OMS), Hans Kluge.

Em entrevista à rádio britânica BBC, Kluge disse que as autoridades nacionais deveriam melhorar suas estratégias de comunicação para transmitir suas mensagens sobre a pandemia entre os jovens. "Um número crescente de países está passando por surtos localizados e um aumento de casos. O que sabemos é que isso é consequência de uma mudança no comportamento humano", explicou o especialista.

Kluge indicou que a OMS recebe "informações de várias autoridades de saúde" que detectaram "alta proporção de novas infecções" entre os jovens. "Para mim, é um alerta alto o suficiente para repensarmos como podemos melhorar o envolvimento dos mais jovens".

Ele disse que, como pai de duas meninas, entende perfeitamente que os jovens "não querem perder o verão", mas pediu que eles ajam "com responsabilidade". "Eles têm uma responsabilidade consigo mesmos, com seus pais e avós e com suas comunidades. Além disso, agora sabemos como adotar comportamentos saudáveis, então vamos aproveitar esse conhecimento", concluiu Kluge. 

O diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou no início da semana que a pandemia continua a acelerar, com o número de casos em todo o mundo dobrando nas últimas seis semanas - quase seis meses após a entidade declarar “emergência de saúde pública internacional”. 

Na Espanha, as regiões de Aragão, Catalunha e Navarra, essencialmente turísticas, surgiram como vetores do novo coronavírus. O governo da Catalunha pediu aos jovens para que parem de sair à noite e festejar para conter o aumento de novos casos, sob ameaça de restabelecer um 'lockdown' na região. Os novos casos na Catalunha passaram de 3.500 para pouco mais de 5.500 em uma semana.  

"Se continuarmos com nossa vida social no ritmo atual, a única coisa que vamos conseguir é piorar a situação", disse o líder regional Quim Torra. A declaração foi dada após jovens catalães retomarem uma tradição chamada "botellones", que envolve sair à noite, beber e ir para festas. A Alemanha, país mais populoso da Europa, registra o avanço maior desde que as medidas restritivas começaram a ser relaxadas. A diferença é que agora as novas infecções não estão mais confinadas a matadouros ou asilos. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.