Sadiq Asyraf / Reuters
Sadiq Asyraf / Reuters

Diretor de Aviação Civil da Malásia renuncia após publicação de relatório do MH370

Documento concluiu que os investigadores foram ‘incapazes de determinar a verdadeira causa do desaparecimento’ da aeronave da Malaysia Airlines

O Estado de S.Paulo

31 Julho 2018 | 10h41

KUALA LUMPUR - O diretor-geral de Aviação Civil da Malásia, Azharuddin Abdul Rahman, renunciou ao cargo nesta terça-feira, 31, um dia após a publicação do relatório sobre o desaparecimento do avião da Malaysia Airlines que fazia o voo MH370 em 2014 com 239 pessoas a bordo.

O documento apresentado às famílias das vítimas na segunda-feira, no Ministério dos Transportes, concluiu que os investigadores foram "incapazes de determinar a verdadeira causa do desaparecimento do MH370".

O relatório de 400 páginas aponta ainda as inúmeras falhas dos controladores aéreos na Malásia e no Vietnã, principalmente na ativação do protocolo de "fases de emergência", depois do desaparecimento do Boeing 777 dos radares. Ele havia decolado no dia 8 de março de 2014 de Kuala Lumpur rumo a Pequim.

O texto afirma que o controle aéreo não respeitou os procedimentos operacionais habituais, afirmou Rahman. "Em consequência, é com pesar e depois de refletir que decido me demitir", disse ele.

Não foi encontrado nenhum rastro do avião nos 120 mil km² inspecionados no Oceano Índico. A investigação liderada pela Austrália, o maior mistério da história da aviação, foi suspensa em janeiro de 2017.

Foram encontrados apenas três fragmentos confirmados do MH370, todos na costa do Oceano Índico ocidental. São muitas as teorias que circularam sobre o desaparecimento do avião: acidente, sequestro e até ataque terrorista. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.