Diretor de empresa é preso por vazamento na Hungria

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, disse hoje que a polícia prendeu o diretor da companhia proprietária da fábrica cujo reservatório despejou toneladas de resíduos tóxicos pelo país. Falando no Parlamento em Budapeste, Orban afirmou que o governo deve tomar o controle da MAL, empresa húngara que produz e comercializa alumínio, e congelar os bens da companhia.

AE-AP, Agência Estado

11 de outubro de 2010 | 09h58

Orban também notou que a retomada segura da produção de alumina na fábrica é de interesse público e deve salvar os empregos de milhares de pessoas.

Pelo menos sete pessoas morreram e uma ficou desaparecida, após o vazamento ocorrido na segunda-feira passada. Os resíduos escaparam de uma piscina de depósito de 10 hectares e chegaram até o rio Danúbio, além de contaminarem outros cursos de água menores.

Tudo o que sabemos sobre:
Hungrialama tóxicaprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.