Diretor do Bolshoi diz saber quem ordenou ataque

O diretor artístico do balé Bolshoi, Sergei Filin, disse saber quem ordenou o ataque que o deixou com várias queimaduras em seus olhos e rosto, mas que não revelará o nome, expressando a esperança de que os investigadores identificarão em breve o autor do crime. Filin, de 42 anos, deixou um hospital de Moscou nesta segunda-feira e se dirigiu para a Alemanha para reabilitação.

AE, Agência Estado

04 de fevereiro de 2013 | 11h49

Filin usava óculos escuros e um curativo na cabeça e a pele de seu rosto estava vermelha e inchada por causa das queimaduras. Mas ele falou com energia e parecia estar com bom humor quando saiu do hospital acompanhado de sua esposa. "Meu corpo está cheio de força e energia", afirmou o diretor a jornalistas.

Ele disse durante entrevista no domingo a um canal de TV estatal russo Rossiya 24 que conhecia quem ordenou o ataque, mas não revelaria nomes. "Meu coração me diz quem foi". Segundo Filin, os investigadores visitarão ele na Alemanha como parte da investigação.

O atacante jogou ácido sulfúrico no rosto do diretor do Bolshoi em Moscou no dia 17 de janeiro, quando ele estava retornado do trabalho para a casa. "Eu sentia uma dor enorme, insuportável", lembrou Filin na entrevista. "Eu caí de bruços na neve e comecei a esfregar meu rosto e olhos com neve."

Colegas do diretor disseram que o ataque poderia ser uma retaliação pela escolha dele de certos dançarinos em detrimento de outros para papéis valorizados. O Bolshoi tem sido marcado por intrigas e disputas internas que levaram à saída de vários diretores artísticos ao longo dos últimos anos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaBolshoiataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.