T.J. Kirkpatrick/The New York Times
T.J. Kirkpatrick/The New York Times

Diretor do gabinete de Ética do governo americano renuncia 

Ele havia sido nomeado em 2013 para um período de cinco anos como diretor do Gabinete de Ética Governamental

O Estado de S.Paulo

06 Julho 2017 | 19h27

WASHINGTON - O principal supervisor de ética do governo americano, que enfrentou a administração de Donald Trump, anunciou nesta quinta-feira, 6, que apresentou sua renúncia, a ser efetivada no dia 19.

Walter Shaub, nomeado em 2013 para um período de cinco anos como diretor do Gabinete de Ética Governamental, informou a Trump sobre sua decisão em uma carta de renúncia. Ele passará a ser diretor de ética da ONG Centro de Campanha Legal (CLC).

"Ao trabalhar com a administração atual, ficou claro para mim que precisamos melhorar o atual programa de ética", disse em um comunicado publicado pelo CLC. "Estou muito ansioso para começar a trabalhar nisso com o CLC, assim como em reformas éticas em todos os níveis do governo".

Shaub não criticou diretamente Trump em sua carta; e disse que foi um privilégio trabalhar com outros colegas que protegem o princípio de colocar "a lealdade à Constituição, às leis e aos princípios éticos acima dos interesses particulares".

Antes mesmo de Trump assumir a presidência, Shaub procurou esclarecer se o presidente havia cedido o controle de suas empresas de maneira adequada a seus dois filhos adultos.

"Não cumpriu com os padrões que cada presidente satisfez nas últimas quatro décadas", avaliou Shaub.

Um mês depois, pediu à Casa Branca que investigasse a influente assistente de Trump, Kellyanne Conway, por incluir a marca de roupa da filha do presidente em uma aparição na televisão, dizendo que deveria enfrentar ações disciplinares. / AFP 

Mais conteúdo sobre:
Donald Trump Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.