Diretora da RAI se demitirá quando for aprovada nova lei

A diretora da TV estatal italiana, a RAI, anunciou nesta terça-feira que irá demitir-se assim que a coalizão de governo do primeiro-ministro Silvio Berlusconi fizer aprovar uma lei que, segundo seus oponentes, servirá para aumentar o império do megaempresário sobre os meios de comunicação italianos. A coalizão governante argumenta que a lei visa apenas tornar a indústria de telecomunicações italiana mais competitiva. ?Quero lembrar a todos da situação precária em que se encontra esta empresa, num mercado distorcido por conflitos de interesses?, disse a diretora da RAI, Lucia Annunziata, referindo-se à queda de audiência enfrentada pela rede estatal, às dificuldades em atrair propaganda e divergências de opinião sobre qual deve ser seu conteúdo. ?Não acredito que tais necessidades possam ser levadas a sério por uma comissão que entrará em atividade nos próximos meses, por motivos claros, em condições precárias?, disse ela, numa referência ao fato de que a lei prevê que a diretoria da RAI seja demitida em fevereiro do próximo ano. O projeto de lei foi aprovado pelo Senado logo após as declarações de Annunziata, e agora será submetida à aprovação da Câmara dos Deputados, possivelmente ainda esta semana. A coalizão de Berlusconi controla as duas Câmaras do Parlamento italiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.