Diretora de escola primária no México vendia crianças

A polícia mexicana desmanchou uma rede de traficantes de crianças, dirigida pela diretora de uma escola primária, que se preparava para vender duas meninas, uma de 25 dias e outra de 6 anos, a casais sem filhos, revelaram as autor idades.O procurador de justiça do Estado do México, Alfonso Navarrete, revelou que a diretora escolar Amelia Ramirez "comprou" as crianças de pessoas diferentes e estava tentando vendê-las por cinco mil euros.A bebê, fruto de uma ligação extra-conjugal do pai, foi vendida pela sua própria madrasta por mil euros. A garota de 6 anos foi adquiridade outra pessoa por 1.700 euros, disse o procurador. A polícia recuperou as duas crianças e deteve a diretora, uma das suas cúmplices na escola e a madrasta da bebê.Esta última foi quem desencadeou a investigação, quando contou ao marido e à polícia que a bebê lhe tinha sido arrancado dos braços, em plena rua, por um desconhecido.Segundo as autoridades, as detidas operavam com a cumplicidade de dez outras pessoas, oito mulheres e dois homens, mas não revelaram se estes cúmplices também foram detidos.As autoridades encontraram na casa onde estavam as crianças, indícios que permitem pensar que os traficantes se preparavam para raptar 12 outras crianças ou que já o tinham feito.Segundo as autoridades do Estado do México, este ano já foramdesmanchadas oito organizações criminosas que se dedicavam ao roubo e tráfico de crianças. Foram recuperadas oito crianças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.