Discurso de Bush se volta para paz, diz bispo

Durante conversa de aproximadamente 15 minutos com o presidente Fernando Henrique Cardoso, o presidente George W. Bush mostrou-se mais cauteloso quanto a uma reação de seu governo aos ataques terroristas sofridos na semana passado. Conforme relato do presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Jaime Chemello, Bush estaria "mais tranqüilo" e com um discurso "mais voltado para a paz". "Espero que os Estados Unidos encontrem um caminho de diálogo e compreensão", disse Chemello ao participar, nesta terça-feira, na Catedral de Brasília, de uma celebração ecumênica pelas vítimas dos atentados em Nova York e Washington. O presidente da CNBB também considerou positiva a iniciativa de Bush de conversar com outros países sobre as possíveis respostas de seu governo aos ataques. De acordo com o encarregado de negócios da Embaixada dos Estados Unidos, Cristobal Orozco, as investidas contra o World Trade Center e o Pentágono atingiram todas as nacionalidades. "Os atentados não atingiram exclusivamente os norte-americanos, mas também funcionários de outros países", disse Orozco. "A violência nunca foi solução para os problemas da humanidade", ressaltou o secretário-geral da CNBB, Dom Raimundo Damasceno. Na opinião da presidente da Pastoral da Criança, Zilda Arns Neumann, os Estados Unidos não devem responder ao ataque com mais violência. "Os responsáveis devem ser punidos, mas o povo deve ficar em paz", completou Neumann. Além de padres e pastores, também participaram do culto representantes de várias embaixadas, como da Hungria, Tunísia, do Canadá, da Argentina, Polônia e do Haiti.O ministro da Justiça, José Gregori, e bispos dos países de língua portuguesa também rezaram pelas vítimas dos atentados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.