Discurso do papa faz mafioso se entregar

Um chefão da Máfia, fugitivo, entregou-se às autoridades nesta quinta-feira, comovido pelo discurso histórico do papa João Paulo II perante o Parlamento italiano. Segundo o advogado Roberto Tricoli, Benedetto Marciante, condenado a30 anos de prisão por assassinato, ficou particularmente comovido pelos comentários de Sua Santidade a respeitos dos valores da família e se apresentou espontaneamente à prisão de Rebibbia, em Roma.?Ele decidiu espontaneamente?, disse Tricoli, por telefone, da Sicília. ?Ele me ligou da cadeia para me dizer?. O advogado afirmou que seu cliente foi tocado pelas palavras do papa, transmitidas pela TV estatal italiana, e que elas reacenderam as convicções religiosas do criminoso.?Em 30 anos na profissão, nunca tinha visto algo assim?, disse Tricoli. ?É um milagre?. Marciante foi condenado, in absentia, em setembro, por associação com a Máfia e homicídio, explica o advogado. Apelações foram apresentadas contra a sentença de 30 anos, mas a condenação de sete anos por associação com a Máfia foi mantida. Ao falar ao Parlamento italiano hoje, João Paulo II pediu aos italianos que fortaleçam os valores cristãos, tenham mais filhos e trabalhem pelo bem comum. O papa também pediu clemência para com os prisioneiros na Itália, mas foram seus comentários sobre a família que comoveram Marciante, diz o advogado. O discurso de hoje marcou a primeira vez que um pontífice se dirige ao legislativo romano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.