Disfarçadas, Forças Especiais entram em ação

Os guerreiros secretos das Forças Especiais (SOF) - que vêm atuando em várias regiões do Iraque há 60 dias - estão disfarçados como beduínos "ou como outros povos do deserto", segundo revelou o general Vincent Brooks, do Comando Central, no Catar. A observação provocou um momento de constrangimento durante a reunião de imprensa. Um jornalista espanhol perguntou se essa informação não passaria a expor os beduínos à ação das tropas iraquianas.Brooks respondeu dizendo que podia divulgar a informação porque "o padrão já mudou". Os grupos avançados dos 1.000 pára-quedistas lançados quinta-feira nas montanhas do norte do país foram recebidos pelos times de SOF que estavam infiltrados em pontos entre 250 e 500 quilômetros dentro do Iraque.Sua missão, além do reconhecimento avançado, é a de marcar com micro-sinalizadores laser alvos camuflados. Reservatórios de combustíveis e depósitos de munições, quase sempre enterrados em buracos de até quatro metros. São americanos e também britânicos, descendentes de árabes, indianos ou paquistaneses, fluentes nos dialetos locais. Na Guerra do Golfo, em 1991, essa cobertura foi usada com sucesso. Os beduínos são nômades que não reconhecem as leis nacionais dos países da região. Circulam livremente, ignorando as fronteiras territoriais e raramente são interpelados pelas autoridades locais.Os bombardeios aéreos a Bagdá passaram a ser precedidos por esquadrões de aviões eletrônicos EA-6B Prowler. Os jatos são lançados dos porta-aviões nucleares que lideram os grupos de batalha estacionados no Golfo. Equipados com o processador ALQ-99, podem impedir o uso de radares e comunicações de todos os tipos na área sobre qual estiverem emitindo os sinais de interferência. Normalmente voam sob proteção de caças supersônicos armados apenas com dois mísseis HARM, anti-radar.Cada Prowler custa US$ 52 milhões. A tecnologia embarcada é sofisticada. Na eventualidade de ser abatido, o piloto tem ordem expressa de ativar o sistema de autodestruição. A presença dos EA-6B indica um rebaixamento na qualidade da defesa antiaérea iraquiana. Se os padrões de detecção estivessem altos como antes dos ataques, seria necessário combinar o trabalho dos aviões com o das novas bombas de microondas, aparentemente não empregadas nesta segunda Guerra do Golfo.O avanço das tropas anglo-americanas atingirá amanhã à tarde a região de Karbala. Trata-se de um rico vale de 80 quilômetros de extensão. É uma espécie de corredor que dá acesso à capital, Bagdá, por meio das auto-estradas 01 e 08. Não é um caminho suave. As rodovias são guardadas pelas poderosas divisões Medina e Hamurábi, da Guarda Republicana. Segunda-feira, os mísseis terra-ar sob controle da unidade Medina derrubaram um helicóptero de ataque Apache e danificaram cerca de 30 outros. A divisão foi apenas levemente atingida. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.