Disney propõe corte de 20% em horas trabalhadas e salários

A direção da Walt Disney World pediu para que alguns de seus funcionários se apresentem como voluntários para um corte de 20% nos salários e na jornada de trabalho. A companhia pretende que 7.400 empregados em período integral reduzam sua jornada de trabalho para 32 horas por semana, informando que a medida tem por objetivo preservar empregos e garantir a manutenção de benefícios como aposentadoria e seguros. Segundo a porta-voz da empresa, Marilyn Waters, as reduções voluntárias de trabalho são uma "oportunidade" para os trabalhadores porque algumas pessoas gostariam de optar por essa alternativa por uma opção de vida. A Disney também demitiu ontem um número não especificado de empregados contratados no departamento de tecnologia e cortou o horário de funcionamento de algumas atrações, conforme informou o jornal "Orlando Sentinel". O cronograma de trabalho de aproximadamente 40 mil funcionários que trabalham por hora nos parques da Disney foi reduzido após os ataques terroristas do dia 11 de setembro, que devastaram a indústria de turismo. Antes mesmo dos ataques, cerca de 1.000 empregados assalariados da Disney World na Califórnia e Orlando tinham sido demitidos. A proposta de redução voluntária de salários e jornada foi feita apenas para trabalhadores na região de Orlando e não para os que trabalham na Califórnia. Os parques temáticos de Orlando sentiram com mais intensidade a queda do movimento porque são mais dependentes de visitantes que viajam por avião. Outras medidas também foram tomadas, como a eliminação de apresentações ao vivo em determinados dias. As informações são da agência Dow Jones. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.