Disparada no preço do abacate causa apreensão no México

Teorias da conspiração tentam explicar alta no valor da fruta, vital na dieta mexicana.

BBC Brasil, BBC

11 Setembro 2011 | 18h12

Nos últimos dias, o assunto que tem dominado as rodas de conversa no México não tem nenhuma relação com o último capítulo da novela ou os gols do campeonato de futebol. A grande preocupação atual é a disparada no preço do abacate.

O quilo da fruta, que antes custava cerca de R$ 3,50, gira hoje em torno de R$ 9, chegando a R$ 13 em alguns locais.

Em um país que leva a comida tão a sério, esta parece ser uma receita para o desastre. Em 2007, a alta no preço das tortilhas, pão feito de milho que é a base da alimentação local, provocou uma série de protestos, que ganhou a alcunha de "guerra da tortilha". Estará para começar a "guerra do abacate"?

Tenro como manteiga e levemente doce, o abacate surgiu cerca de 12 mil anos atrás, no sul do México. Hoje é consumido em todo o mundo.

No México, o abacate é servido com quase tudo. É um ingrediente fundamental na elaboração de sanduíches feito à base de tortilha. Também é a base da guacamole, um creme.

O país produz 40% da produção mundial de abacates e cada mexicano consome, em média, oito quilos da fruta por ano.

No México, a fruta tem conotação quase quase sagrada. A origem do nome, no entanto, não é a mais elegante: o termo vem de aguacate, a versão em espanhol para o nome original, ahuacatl (que significa "testítulo", na língua nativa).

Conspiração

A disparada no preço do abacate nos últimos meses já levantou uma série de explicações e teorias da conspiração.

Segundo um especialista de segurança ouvido pela BBC, a alta está relacionada à atuação de narcotraficantes no estado de Michoacan, responsável pela maior parte da produção.

Cartéis de droga estariam impondo uma espécie de imposto aos produtores, cobrando uma comissão em troca de proteção às propriedades.

A associação local de produtores de abacate nega qualquer interferência de narcotraficantes na alta dos preços. Para o grupo, a disparada é resultado de uma colheita ruim neste ano.

A irritação é frequente nas redes sociais. Cada mexicano tem sua própria explicação. Para a faxineira Carmen, a culpa é "dos gringos".

"Os americanos ganharam gosto pela guacamole. Agora, todos os abacates vão para o norte", diz.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
economiamexicoabacatepreço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.