Carlos Barria/Reuters
Carlos Barria/Reuters

Disparam apostas em impeachment de Trump após demissão do diretor do FBI

Embora as apostas não representem as probabilidades de um resultado real, elas apontam a quantidade de dinheiro que os apostadores estão dispostos a colocar sobre a mesa

O Estado de S. Paulo

10 Maio 2017 | 20h33

WASHINGTON A repentina decisão do presidente Donald Trump de demitir o diretor do FBI, James Comey, fez as apostas no impeachment do presidente americano dispararem, disseram à agência France-Presse sites especializados em apostas, nesta quarta-feira, 10.

Pouco depois da notícia de terça-feira, começaram a surgir as comparações com o ex-presidente Richard Nixon, que demitiu o procurador independente do caso Watergate Archibald Cox, em 1973, um ano antes que um painel do Congresso votasse a favor da destituição de Nixon.

Nesta quarta-feira, as apostas em que Trump será submetido a um processo de impeachment ainda em seu primeiro mandato subiram de 52% para 60% de chance, segundo Lewis Davey, porta-voz do site de apostas irlandês Paddy Power.

"Isso pode ser atribuído à notícia da demissão de Comey", afirmou Davey, que explicou que a aposta de 4/6 é "a mais próxima que tivemos para uma destituição de Trump em seu primeiro mandato".

Embora as apostas não representem as probabilidades de um resultado real, elas apontam a quantidade de dinheiro que os apostadores estão dispostos a colocar sobre a mesa.

As apostas on-line continuam sendo proibidas, porém, em grande parte dos Estados Unidos, motivo pelo qual não representam uma porção significativa das opiniões dos americanos.

Segundo Naomi Totten, da Betfair, uma plataforma de apostas britânicas pertencente à mesma casa matriz que a Paddy Power, a demissão de Comey animou os jogadores a apostar a favor de uma queda de Trump.

"Uma pessoa está tentando colocar 100 mil libras (US$ 129 mil) a favor da saída de Trump", contou à agência.

Horas após o anúncio da demissão de Comey, as apostas no impeachment de Trump antes do fim do ano passaram de 9/1 para 3/1, segundo Totten.

Os apoios ao presidente estão próximos de seu menor nível desde a posse, e a taxa de aprovação de Trump se encontra atualmente em 54,2%, segundo a média de pesquisas elaborada pelo site RealClearPolitics.

O Partido Republicano de Trump controla ambas as casas do Congresso, o que reduz as probabilidades de que seja submetido a um processo de impeachment. / AFP 

Mais conteúdo sobre:
Donald TrumpEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.