Disposição dos EUA em ampliar ataques preocupa a ONU

O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, mostrou-se hoje "desconcertado" diante da posição dos Estados Unidos sobre o direito de estender a outras nações os ataques empreendidos contra o Afeganistão, em sua luta contra o terrorismo internacional. Em uma carta ao Conselho de Segurança da ONU, o embaixador norte-americano no organismo mundial, John Negroponte, afirma que, em nome do direito de autodefesa, os Estados Unidos mantêm aberta a possibilidade de atacar outros países. "A única frase que causou desconforto entre os membros da ONU, e sobre a qual pedi explicações, é a relativa à eventualidade de que os EUA possam considerar necessário atacar outras organizações e outros países", disse Annan. O secretário-geral da ONU acrescentou que Negroponte explicou que a afirmação de Washington "é para ter uma declaração sobre o desejo de manter abertas todas as opções". "Esta foi a frase que me desconcertou", disse Annan. A carta de Negroponte foi discutida no Conselho de Segurança, onde alguns países a interpretaram como um sinal de que os Estados Unidos não pretendem pedir aval para um possível ataque a um segundo país.Leia o especial

Agencia Estado,

09 Outubro 2001 | 16h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.