Michael Reynolds/Arquivo/AP
Michael Reynolds/Arquivo/AP

Disputa acirrada ameaça deixar eleição indefinida por várias semanas nos EUA

Em Ohio, votos enviados pelo correio só serão computados 10 dias após votação; em outros Estados, como Wisconsin, lei prevê recontagem automática caso diferença seja pequena; campanhas mobilizam exército de advogados para recorrer aos tribunais

Gustavo Chacra / CORRESPONDENTE / NOVA YORK,

05 de novembro de 2012 | 09h53

NOVA YORK - Com a disputa acirrada entre Barack Obama e Mitt Romney, analistas alertam que os americanos correm sério risco de esperar algumas semanas para saber quem será o novo presidente do país. "Esta poderia ser mais uma eleição decidida na Justiça", disse Paul Sracic, do departamento de ciências políticas da Universidade Youngstown, de Ohio.

Um dos cenários mais temidos é a repetição de 2000, quando a eleição foi decidida após uma decisão da Suprema Corte em favor de George W. Bush, interrompendo a recontagem dos votos na Flórida que vinha favorecendo o democrata Al Gore.

Este ano, o problema está em Estados como Ohio, onde os votos pelo correio só podem ser computados dez dias após a eleição. "Se a votação for muito apertada em Ohio, levará semanas até que tenhamos um vencedor", disse Rick Hasen, especialista em Direito da Universidade da Califórnia.

Nos últimos dias, as duas campanhas já colocaram a postos um exército de advogados para preparar a briga em Estados onde a disputa está indefinida. "Os comitês dos dois candidatos sabem que talvez tenham de lutar por recontagens ou recorrer aos tribunais", afirmou Hasen.

A disputa pode se complicar também em Estados em que a legislação local determina uma recontagem automática caso a disputa seja muito acirrada. É o caso de Wisconsin, onde a recontagem pode ser requisitada caso a diferença entre os candidatos seja menor do que 2 pontos porcentuais.

Apuração

 

A disputa nos EUA segue tecnicamente empatada. Há divergências entre analistas sobre o favoritismo do presidente. Alguns cravam a vitória de Obama. Outros acham que é impossível saber quem será eleito.

Um dos que mais tem insistido na vitória de Obama é Nate Silver, do blog Five Thirty Eight, no New York Times. Por meio de um modelo matemático, ele coloca as chances de vitória de Obama em 85,1%, contra apenas 14,9% de Mitt Romney.

Nas bolsas de apostas, o favoritismo de Obama se repete: 65% a 35%. Consultorias de risco e análises de bancos também apontam uma boa vantagem para o presidente à proporção de dois para um.

Republicanos se agarram às pesquisas nacionais para acreditar em uma vitória. Na média de todos os levantamentos calculada pelo site Real Clear Politics, Obama aparece com 47,5% contra 47,3% do republicano, dentro da margem de erro e com muitos indecisos podendo decidir em favor de Romney.

Liderança

 

A grande questão, no entanto, se resume ao Colégio Eleitoral, onde a eleição será decidida. Em 2000, George W. Bush teve cerca de 500 mil votos a menos do que Al Gore, mas venceu a disputa indireta por delegados – 271 a 267.

No Colégio Eleitoral, de acordo com o site Real Clear Politics, Obama tem 201 votos garantidos, contra 191 de Romney – 146 votos ainda estão indefinidos – ganha quem obtiver 270 votos.

O caminho para Obama, segundo Silver, é bem mais simples e ele deve obter cerca de 306 votos no Colégio Eleitoral. "A única esperança de Romney são as pesquisas estarem erradas", disse.

Para Sean West, da consultoria de risco político Eurasia, o presidente "tem vantagem no mapa eleitoral e mais infraestrutura de campanha, sendo favorito para permanecer na Casa Branca". "Romney tenta manter sua tendência de crescimento, mas não tem muitas opções à mão", disse.

 

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.