Disputa em Iowa coloca todos os holofotes nas bases eleitorais

Num esforço deproporções recordes, dezenas de milhares de voluntários estãotocando campainhas, recrutando vizinhos, enchendo caixas decorreio e dando telefonemas para ajudar seu candidato favoritoà Casa Branca, no início da corrida presidencialnorte-americana. Agora, numa disputadíssima corrida em Iowa para a indicaçãoà candidatura presidencial, a campanha que for maisbem-sucedida em conseguir levar aliados para os caucuses (asreuniões partidárias) de quinta-feira, quase certamente serávitoriosa. "É um combate vizinho-a-vizinho, casa-a-casa", disse GordonFischer, ex-presidente do Partido Democrata de Iowa, quedefende o senador Barack Obama. "Esta é de longe a maiorparticipação de eleitores na história de Iowa", disse ele."Tudo está elevado à décima potência." Os principais pré-candidatos democratas --Obama, HillaryClinton e John Edwards-- vêm investindo pesado em sofisticadosjogos de guerra. Do lado republicano, o ex-governador deMassachusetts Mitt Romney armou a maior organização. Seuprincipal adversário, o ex-governador de Arkansas MikeHuckabee, está contando com a base de apoio religiosa econservadora, através de igrejas e grupos sociais. O peculiar processo dos caucuses em Iowa exige que oseleitores compareçam pessoalmente numa noite que promete sergelada e se reúnam com vizinhos e amigos. Isso exige umaorganização sólida para garantir o comparecimento. Detalhescontam muito, desde o uso de sofisticados dados demográficosaté estratégias clássicas como arrumar babás, para que famíliascom crianças possam votar, e transporte para os idosos. Obama mantém 37 escritórios no Estado; Hillary Clinton tem34, e Edwards, 25. As equipes tentam identificar os maioresdefensores do candidato e garantir que eles votem. Isso semcontar as operações telefônicas, que usam centenas devoluntários. A campanha de Edwards, por exemplo, entregou ou enviou pelocorreio 200 mil exemplares de um livro de 80 páginas com suaspropostas de governo, e formou clubes de leitura para que elefosse lido e discutido. A equipe de Hillary criou uma estratégia para que veteranostragam um eleitor novo, e vai limpar o gelo e a neve em tornodas seções eleitorais para facilitar o acesso para o caucus.Obama também aposta em pessoas que nunca participaram antes. (Reportagem adicional de Ellen Wulfhorst e DeborahCharles)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.