Dissidente chinês Fang Lizhi morre nos EUA

O dissidente chinês Fang Lizhi, um dos mais conhecidos na China e cujo discurso inspirou protestos estudantis na década de 1980, morreu nos Estados Unidos, para onde fugiu depois da repressão militar de 1989 sobre o movimento pró-democracia. Ele estava com 76 anos de idade.

AE, Agência Estado

07 de abril de 2012 | 14h17

Um dos principais astrofísicos chineses, Fang e sua mulher ficaram escondidos na embaixada dos EUA por 13 meses depois da repressão. No exílio, ele atuava como professor na Universidade do Arizona, em Tucson.

A mulher de Fang, Li Shuxian, confirmou para a Associated Press, em Pequim, que Fang morreu na sexta-feira, em Tucson.

Fang inspirou uma geração, disse seu amigo Wang Dan, também em exílio nos EUA, que anunciou a morte do colega no Facebook e Twitter. "Eu espero que o povo chinês nunca se esqueça que uma vez houve um pensador como Fang Lizhi". "Um dia a China ficará orgulhosa de ter tido Fang Lizhi". "Fang é meu professor espiritual e sua morte tem um forte impacto sobre mim", escreveu Wang. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Fang LizhimorteChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.