EFE/José Jácome
EFE/José Jácome

Dissidente das Farc responsável por morte de jornalistas equatorianos fica ferido em operação

Segundo o presidente colombiano Iván Duque, começaram operações no local para tentar encontrar o guerrilheiro, identificado como Walter Patricio Arizala

O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2018 | 17h48

BOGOTÁ - O guerrilheiro colombiano Walter Patricio Arizala, conhecido como Guacho, líder de uma dissidência das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) responsável pelo sequestro e morte de três jornalistas equatorianos foi ferido ontem em uma operação militar do Exército. Segundo o presidente colombiano Iván Duque, começaram operações no local para tentar encontrar o guerrilheiro e capturá-lo ainda neste fim de semana. 

O repórter Javier Ortega, de 32 anos, o fotógrafo Paúl Rivas, de 45 anos, e o motorista Efraín Segarra, de 60 anos, foram sequestrados na região costeira de Mataje, onde faziam uma reportagem em abril. Na ocasião, o presidente do Equador, Lenín Moreno, confirmou a morte dos reféns.

A dissidência das Farc, na época, chegou a acusar os governos dos dois países de terem matado os reféns em uma operação militar, o que tanto Quito quanto Bogotá negaram. 

A dissidência das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) era uma preocupação, bem como a existência de outros grupos criminosos, desde a assinatura do acordo de paz entre Bogotá e a guerrilha, em 2016. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.