Dissidente volta a falar de prisão ilegal e abusos

O artista plástico Ai Weiwei voltou a falar sobre prisões ilegais e tortura de dissidentes na China. Durante dois meses, Weiwei ficou em silêncio após ter sido libertado. Ele é acusado pelo governo de sonegar impostos. Pelo Twitter, o artista disse que viu colegas presos e torturados por ser próximos dele. "Inocentes, eles sofreram enormes abusos psicológicos e tortura física", escreveu. Weiwei também relatou o caso de um conhecido que sofreu um ataque cardíaco após ser torturado na prisão e quase morreu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.