Dissidentes cubanos apoiam mudança de governo na Venezuela

O líder do dissidente Movimento Cristão de Libertação (MCL) cubano, Oswaldo Payá, manifestou nesta sexta-feira (12) seu "apoio e respeito" ao novo presidente interino da Venezuela, Pedro Carmona, após a derrubada de Hugo Chávez. Payá escreveu uma carta ao ex-presidente democrata-cristão venezuelano Luis Herrera Campins e enviou uma cópia da mensagem às agências de notícias estrangeiras em Cuba. Nela, o dissidente pede a Campins que encaminhe ao novo presidente venezuelano "nosso apoio e respeito". "De Cuba lhe expressamos nossa mais profunda admiração e solidariedade nestes momentos em que foi resgatada a soberania e o futuro do país. É impressionante e verdadeiramente épica a demonstração de valor, firmeza e amor à liberdade demonstrada por vocês", escreveu o dissidente. "Desta forma, impediram - acrescenta a carta - que sua nação fosse dominada pelo totalitarismo e evitaram, nós o sabemos, que uma longa etapa de sombras se abatesse sobre a Venezuela". "Impediram muito sangue, sofrimentos, miséria, calamidades, medos, ódios e desterros. Resgataram sua própria liberdade e democracia. A memória do Libertador Simón Bolívar foi restituída a seu verdadeiro garante - o povo soberano, resgatando-a de um poder... utilizado para submeter seu próprio povo", destacou o líder dissidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.