Ditador diz a Annan que diálogo não terá êxito 'com terroristas' nas ruas

O presidente Bashar Assad disse ontem ao ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan que "a Síria está pronta para tornar um êxito qualquer esforço honesto para encontrar uma solução para o evento que estamos testemunhando, mas nenhum diálogo ou iniciativa política pode ter êxito enquanto houver grupos terroristas armados operando e espalhando caos e instabilidade". Segundo os Comitês de Coordenação Local, Assad e Annan conversaram sobre um cessar fogo, a libertação de presos e acesso irrestrito para agências humanitárias. A TV estatal síria qualificou a atmosfera do encontro de "positiva". Em uma reunião no Cairo, os chanceleres da Rússia e da Liga Árabe chegaram a um acordo de cinco pontos pedindo à Síria que ponha fim à violência. O chanceler russo, Andrei Lavrov, disse que uma nova resolução no Conselho de Segurança da ONU tem chance de ser aprovada se não tiver como objetivo respaldar os grupos opositores armados.

O Estado de S.Paulo

11 de março de 2012 | 03h07

Enquanto Assad conversava com o enviado da ONU e da Liga Árabe a Damasco (foto), o Exército avançava contra redutos rebeldes em Idlib, no noroeste do país. Ao menos 80 pessoas foram mortas ontem em todo o país. Espessas colunas de fumaça se erguiam sob bombardeio intenso de tanques. Um repórter da Associated Press descreveu uma luta de guerrilha nas ruas. Rebeldes disparavam contra franco-atiradores, que davam cobertura ao avanço dos soldados. E moradores tentavam abrigar-se dos disparos. Idlib foi cercada nos últimos dias por soldados que chegaram em 140 ônibus e 42 tanques, disseram ao Estado rebeldes. / L.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.