Reuters
Reuters

Ditador norte-coreano reaparece para lembrar morte do pai

Kim está mais magro e com menos cabelo nas imagens do aniversário de falecimento do fundador do regime

Efe,

08 de julho de 2009 | 12h02

O ditador norte-coreano Kim Jong-il visitou nesta quarta-feira, 8, o mausoléu onde estão os restos mortais de seu pai e fundador do regime comunista, Kim Il-sung, por ocasião do 15º aniversário de sua morte, informou a agência de notícias estatal KCNA.

 

Kim visitou o Palácio de Kumsusan em Pyongyang, onde se encontra o túmulo de seu pai, vítima de um infarto em 1994. O ditador, de 67 anos, esteve acompanhado de vários membros da cúpula militar norte-coreana, incluindo o ministro da Defesa, Kim Yong-chun.

 

Após a visita ao túmulo, a televisão estatal norte-coreana divulgou imagens de Kim Jong-il em um estádio de Pyongyang, no que é o segundo vídeo exibido após o derrame cerebral que o ditador teria sofrido em agosto do ano passado. Nas imagens se vê Kim Jong-il magro e com menos cabelo, e inclinando o corpo como tributo ao pai.

 

A última aparição na TV do ditador norte-coreano havia sido em abril passado, quando presidiu a abertura da Assembleia Suprema do Povo (Legislativo unicameral). Em memória do ex-líder, a TV norte-coreana também transmite documentários sobre as "atividades revolucionárias e a história do presidente Kim Il-sung", segundo a KCNA.

 

A data foi celebrada em meio a especulações sobre a possível sucessão na dinastia que estaria sendo preparada por Kim Jong-il. Segundo a inteligência da Coreia do Sul, Kim Jong-un, filho do ditador, deve assumir a liderança do regime após a morte de seu pai.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do Norte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.