Divergências sobre presos adiam cúpula Abbas-Olmert

As divergências entre Israel e o Movimento Islâmico (Hamas) sobre uma troca de prisioneiros são o motivo da demora de uma cúpula entre o presidente palestino, Mahmoud Abbas, e o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert.Fontes políticas em Jerusalém informaram nesta quarta-feira que o Hamas exige que Israel solte centenas de prisioneiros palestinos antes de pôr em liberdade o soldado israelense Gilad Shalit, capturado em junho.Funcionários do escritório de Olmert, citados hoje pelo jornal Ha´aretz, declararam que "a reunião pode acontecer amanhã, mas, não há uma data marcada, por enquanto".Israel condiciona a libertação de pelo menos mil prisioneiros palestinos, do total de 10 mil, à devolução prévia do soldado Shalit.Segundo as fontes, que deram suas declarações pedindo o anonimato, os representantes islâmicos querem a liberdade de pelo menos 1.400 prisioneiros. Eles exigem a libertação dos palestinos antes da de Shalit, o que seria interpretado como uma vitória do governo do primeiro-ministro Ismail Haniyeh, rival do presidente Abbas.Fontes palestinas em Ramalah disseram aos jornalistas que a cúpula pode acontecer na próxima semana. Mas o chefe de negociadores da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), Saeb Erekat, foi mais cauteloso. "Estamos fazendo os preparativos. Quando terminarem, haverá a reunião", disse.Abbas, presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), declarou na terça-feira à noite aos jornalistas em Ramalah que está disposto a se reunir a qualquer momento com Olmert.As negociações abertas para concretizar a troca dos prisioneiros foram paralisadas há menos de duas semanas por causa das hostilidades entre o movimento Fatah e o braço armado do Hamas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.