Dívida externa argentina sobe US$ 11 bilhões

A dívida externa total da Argentina aumentou US$ 11 bilhões em um ano e atingiu US$ 132,5 bilhões no final de junho, conforme dados divulgados pelo Banco Central da República Argentina (BCRA). Apesar do crescimento, o volume representa 32,2% do Produto Interno Bruto, patamar 4,3 pontos porcentuais inferior ao verificado há um ano. O relatório da autoridade monetária aponta para o nível mais baixo dos últimos 15 anos. Do total do estoque de dívida, US$ 71,49 bilhões dizem respeito ao setor público e US$ 61 bilhões ao privado.

MARINA GUIMARÃES, Agência Estado

02 de novembro de 2011 | 13h03

Conforme detalha o relatório, o aumento da dívida foi decorrência de dois fatores: a venda, no ano passado, de títulos públicos para a troca de papéis remanescentes da reestruturação de 2005; e de maior endividamento do setor privado com fornecedores, devido à alta de importações.

Por outro lado, o BC ressalta que o crescimento econômico nacional manteve o processo de redução da dívida em relação ao PIB. A autoridade monetária também destaca que e política de redução da dívida permitiu "uma mudança substancial em sua composição".

A dívida nominada em moeda estrangeira representa, atualmente, 62% do estoque. No período da conversibilidade, na década de 90, pelo qual um peso valia o mesmo que um dólar, a proporção era de 90%.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinadívida externa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.