Shafkat Anowar
Shafkat Anowar

Divulgação de vídeo de policiais atirando em menino de 13 anos aumenta tensão nos EUA

As imagens, gravadas pela câmera do uniforme de um dos policiais, mostram um agente perseguindo Adam Toledo em um beco escuro, gritando para ele parar e largar a arma, atirando em seguida e matando o jovem

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2021 | 22h47

CHICAGO, EUA - A divulgação de um vídeo que registra o momento em que policiais de Chicago matam Adam Toledo, de 13 anos, de origem latina, após ele se render gerou indignação nesta quinta-feira, 15, incentivando protestos planejados para esta noite e para sexta-feira, 16. O caso ocorreu na noite do dia 29 de março, mas só agora o vídeo foi divulgado. 

As imagens, gravadas pela câmera do uniforme de um dos policiais, mostram um agente perseguindo o menino em um beco escuro, gritando para ele parar e pedindo que largue a arma. "Mãos. Mostre-me suas mãos. Largue. Largue", ele diz. Quando o menino se vira e levanta as mãos, um único tiro ressoa e ele cai no chão.

Adam, que morava no bairro de Little Village, no oeste de Chicago, é uma das pessoas mais jovens mortas pela polícia em Illinois em anos. A morte acontece durante o julgamento do ex-policial Derek Chauvin, acusado de assassinar o homem negro George Floyd em Minneapolis no ano passado, e quatro dias após a policial Kim Potter atirar fatalmente contra Daunte Wright, jovem negro de 20 anos parado em uma blitz de trânsito.

Antes mesmo que o vídeo fosse divulgado, a prefeita de Chicago, Lori Lightfoot, fez um apelo emocional por calma.“Devemos prosseguir com profunda empatia e calma e, o que é mais importante, paz”, disse Lightfoot, sua voz falhando enquanto ela falava sobre a dor de perder um filho devido à violência armada. A prefeita, que assistiu a vários vídeos da ocorrência, chamou a experiência de “dolorosa”.

“Nenhuma família deveria ter um vídeo dos últimos momentos de seu filho amplamente transmitido, muito menos ser colocada na terrível situação de perder seu filho, em primeiro lugar”, disse ela.

O incidente teve início quando dois policiais responderam a relatos de tiros, afirmam as autoridades. Os agentes avistaram duas pessoas em um beco e começaram uma perseguição. Promotores afirmaram que Adam estava segurando uma arma quando começou a correr pelo beco.

O vídeo -- bastante gráfico, mas cuja parte principal dura cerca de um segundo -- deixa questões significativas sobre a sequência de eventos. Adeena Weiss Ortiz, advogada que representa a família Toledo, disse em entrevista coletiva na quinta-feira que o vídeo mostra que Adam estava tentando cumprir as ordens do policial. “Ele jogou a arma”, disse ela. “Se ele tinha uma arma, ele a jogou fora. O oficial disse: ‘Mostre-me suas mãos’. Ele obedeceu. Ele se virou", ela afirmou.

O New York Times desacelerou o vídeo da polícia, bem como um segundo vídeo divulgado pelas autoridades. Enquanto o policial, identificado em relatórios policiais como Eric E. Stillman, de 34 anos, dispara o único tiro, Adam está levantando os braços e parece estar de mãos vazias. Momentos antes do tiro, mostra a análise do Times, Adam pode ser visto segurando o que parece ser uma arma, que ele deixa cair atrás de uma cerca de madeira antes de levantar as mãos.

As imagens, divulgadas por várias emissoras, entre elas a USA Today,  desencadeou uma nova onda de consternação sobre a conduta policial em Chicago, ao mesmo tempo que gerou um debate sobre o que as imagens - granuladas e gráficas - realmente mostraram. 

Pessoas foram às redes sociais expressar indignação. “Foi difícil de assistir”, disse Baltazar Enriquez, presidente do Conselho da Comunidade de Little Village, dizendo que considerou o incidente um assassinato. “Adam levanta as mãos e então (o agente) atira nele.”

Enriquez disse que manifestações foram planejadas para quinta e sexta-feira à noite. Nelas, afirma, moradores de Chicago irão exigir que o dinheiro gasto no orçamento da polícia seja desviado para programas comunitários. “Todo mundo está extremamente zangado”, disse ele. “Não precisamos de oficiais zangados. Precisamos de assistentes sociais."

O Civilian Office of Police Accountability (COPA), uma agência independente que investiga tiroteios policiais em Chicago, divulgou o vídeo na tarde de quinta-feira, após inicialmente resistir a torná-lo público, citando a idade de Adam. A COPA está investigando o uso da força e Stillman foi colocado em funções administrativas por 30 dias.

O Departamento de Polícia de Chicago não fez comentários sobre o vídeo, a não ser redistribuir seu comunicado à imprensa sobre o incidente, classificando a morte como "trágica" e afirmando que cooperaria com a COPA.

A família de Adam teve permissão para assistir ao vídeo em particular na noite de terça-feira. Posteriormente, a família emitiu uma declaração chamando a experiência de "extremamente difícil e dolorosa para todos os presentes". /NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.